O NIILISMO EM NIETZSCHE: UMA LEITURA DELEUZEANA

Autores

  • Ícaro Souza Farias Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Palavras-chave:

Nietzsche, Niilismo, Deleuze.

Resumo

Este texto trata do niilismo na filosofia de Nietzsche, pensando-o a partir da interpretação de Gilles Deleuze. Para tanto, o livro Nietzsche e a filosofia do filósofo francês será a referência a partir da qual será desenvolvido este artigo.

Biografia do Autor

Ícaro Souza Farias, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Doutorado em andamento pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Mestre em Filosofia pela Universidade Federal Fluminense (UFF); Graduado em Filosofia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Atualmente é professor efetivo da rede Estadual da Bahia.

http://lattes.cnpq.br/9081190052616040

Referências

DELEUZE, Gilles. Nietzsche e a filosofia. São Paulo: N-1 Edições, 2018.

MACHADO, Roberto. Nietzsche e a verdade. Rio de Janeiro: Graal, 1999.

MÜLLER-LAUTER, Wolfgang. Nietzsche: sua filosofia dos antagonismos e os antagonismos de sua filosofia. São Paulo: Unifesp, 2011.

NIETZSCHE, Friedrich. Obras incompletas. São Paulo: Nova Cultural, 1978 (Os Pensadores).

Revista Litterarius | Faculdade Palotina

V. 20 | N. 01 | 2021 ISSN: 2237-6291 14

______. O caso Wagner, um problema para músicos. São Paulo: Companhia das letras, 2009.

______. Para a genealogia da moral; uma polêmica. São Paulo: Companhia das Letras, 2010a.

______. Além do bem e do mal. São Paulo: Companhia das Letras, 2010b.

______. Crepúsculo dos ídolos ou como filosofar a golpes de martelo. São Paulo: Companhia das letras, 2010c.

______. Assim falou Zaratustra. São Paulo: Companhia das letras, 2011.

______. A gaia ciência. São Paulo: Companhia das letras, 2012.

VOLPI, Franco. O niilismo. São Paulo: Loyola, 1999.

Downloads

Publicado

2021-08-24